Mundo Sombrio - Um Fórum Assustador E Real - Entre Se Tiver Coragem

Olá, seja bem-vindo! Que tal fazer parte da família sombria? Basta se registrar, de repente você pode até fazer parte da staff.

O Mundo Sombrio Tem Um Conteúdo Assustador E Real - Entre Se Tiver Coragem

Estatísticas

Os nossos membros postaram um total de 2425 mensagens em 1888 assuntos

Temos 454 usuários registrados

O último usuário registrado atende pelo nome de Darius Shayne

Últimos assuntos

» Topico Criado Para Membros Novos
Dom Jul 13, 2014 12:35 am por † Maurício †

» Como fazer O JOGO DO COPO
Seg Jun 30, 2014 2:14 pm por John Doe

» Livro: A ilusão de Lilith
Qua Jun 11, 2014 11:34 am por SECRET LOBA BRANCA

» A Lenda da Estatua.
Dom Jun 08, 2014 7:52 pm por SECRET LOBA BRANCA

» Olá :D
Sex Jun 06, 2014 1:25 pm por † Maurício †

» Apresentações - Como Tudo Começou e Muito Mais
Dom Jun 01, 2014 9:55 am por † Maurício †

» As 7 Profecias Maias
Sex Maio 30, 2014 5:31 am por † Maurício †

» Oi
Seg Fev 24, 2014 11:04 pm por † Maurício †

» †Alucard†
Qui Jan 16, 2014 5:18 am por † Maurício †

Quem está conectado

4 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 4 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum


O recorde de usuários online foi de 201 em Dom Dez 08, 2013 10:59 pm

  • Novo Tópico
  • Responder ao tópico

Brincadeira do compasso online – como fazer, perigos, riscos e cuidados

Compartilhe

† Maurício †
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR

Mensagens: 1934
Pontos: 10450
Reputação: 11
Data de inscrição: 28/11/2011

default Brincadeira do compasso online – como fazer, perigos, riscos e cuidados

Mensagem por † Maurício † em Sab Fev 04, 2012 8:18 pm

Ainda hoje, existe uma “brincadeira” que é febre entre jovens que desejam se comunicar com o além para responder a perguntas triviais. Acredito que todos conhecem esta, que é chamada de brincadeira do compasso.

Basicamente, consta de uma folha de papel ou um pedaço de madeira onde estão escritas todas as letras do alfabeto, bem como os números de 0 a 9, assim como “sim” e “não”. Geralmente, os jovens se reunem em volta desta “tábua” com um compasso em mãos, fazem uma oração para invocar espíritos e começam a fazer as perguntas. Agora… será que isso tudo é verdade? São os espíritos que movem o compasso ou o quê?

Atenção: tudo o que você lerá abaixo é a título informativo, apenas! Não aconselho procurar este tipo de brincadeira, independente da sua crença, pelas razões que vou apresentar mais abaixo. Continue lendo e tire suas próprias conclusões. Independente de qualquer coisa, se você resolver fazer… você concorda que não deve responsabilizar o autor deste blog por nenhum dano psíquico sofrido pela experiência. Estejam avisados.


Como fazer a brincadeira do compasso

Basicamente, a regra é que todos estejam em um lugar calmo e sossegado para fazer a brincadeira. Após isso, todos devem rezar um pai-nosso ou algo parecido (alguns dizem que não se pode dizer amém) de mãos dadas, e logo após, solicitar a presença de um espírito para que este responda às perguntas. Uma pessoa – e apenas uma – deve segurar o compasso, sem fazer pressão sobre o mesmo, como mostra na imagem. Quando ele começar a se mover para o “sim”… aí sim é que a brincadeira começa, e podem ser feitas perguntas para o “espírito”, procurando saber respostas sobre o passado, presente e futuro.

As perguntas não devem ser generalistas, tipo, “fulano ou fulana gosta de mim”. Procure perguntar dúvidas mais inteligentes, ou coisas que a pessoa que está segurando o compasso não sabe sobre você.

Para finalizar, agradeça e diga amém, colocando o compasso sobre a folha e fechando-a em seguida.

Riscos e perigos da brincadeira

Apesar de ser algo interessante, a brincadeira do compasso traz consequências nada interessantes, principalmente se os envolvidos tiverem alguma fragilidade, seja ela mental ou espiritual. No momento que você “invoca” espíritos, você automaticamente se torna receptivo para qualquer energia negativa que esteja pairando sobre o ambiente – e energia é algo que a própria ciência (ao menos na parte de psicologia) aceita como algo existente. Os espiritualistas afirmam também que, ao fazer este tipo de brincadeira, você abre uma brecha para que qualquer espírito – seja ele bem intencionado ou não – entre em contato com os envolvidos. Para o espírito fazer isso, segundo os espiritualistas, eles precisam da energia do medium ou mediuns – que pode ser qualquer um do grupo, mas geralmente é quem segura o compasso – para poder manifestar suas respostas. Nisso, por ter esta abertura, esta brecha, algumas pessoas mais receptivas podem se sentir mal com esta brincadeira. Na pior das hipóteses pode também ocorrer o caso de obsessão, pois se o espírito for zombeteiro, ele gostará tanto da brincadeira que seguirá alguns ou algum envolvido, pela simples busca de diversão. Lembre-se: os espíritos agem exatamente como nós, porque de fato são iguais a nós, com exceção da carne. Portanto, assim como existem pessoas que gostam de se aproveitar das outras e de situações, existem espíritos que fazem o mesmo.

Já os psicólogos afirmam que este tipo de brincadeira pode despertar emoções fortes do desconhecido, o que pode gerar distúrbios psíquicos no envolvidos, como alucinações. Segundo eles, não é o “além” que faz mover o compasso, senão não seria necessário uma pessoa segura-lo. Eles afirmam que são os jovens que o fazem movê-lo, de forma incosciente.

Por isso falei: independente de você acreditar ou não na existência de espíritos, não continue com esta brincadeira. As consequências são as mesmas, para quem acredita ou não.

Minha experiência pessoal com a brincadeira do compasso

Quando tinha na faixa dos 11, 12 anos, fazia muito este tipo de brincadeira com alguns amigos aqui na rua. Lembro que escrevia as letras e números numa folha de papel ofício, daí sentávamos no chão e colocávamos a folha sobre um tapete, para fazer a brincadeira. Rezávamos pai nosso e não dizíamos amém, e sempre era eu quem segurava o compasso. Era eu e mais 2 ou 3 amigos, no máximo.

Eu particularmente nunca vi nada de sobrenatural, muito menos senti, exceto um leve formigamento na mão após “invocarmos” a presença de algum espírito. O compasso já chegou a se mover algumas vezes, mas se isso estava sendo causado por mim ou por alguma força do além, nunca saberei responder. Idem para o formigamento na mão: ele poderia ser causado pela posição e tempo que estava segurando o compasso, e não por algo sobrenatural… ou não?

Não lembro dele ter “respondido” nada fora do comum. Na verdade, eu sabia todas as respostas, pois conhecia quem havia perguntado. Portanto, poderia ser eu a estar movendo o compasso. Mas… me lembro de algo bem interessante que ocorreu nessa época também, e que até hoje não consegui achar uma explicação lógica.

Uma vez, numa época que faltava muito energia aqui no bairro, e eu estava na casa de um destes meus amigos, batendo papo, quando de repente deu queda de energia. Daí, lógico, acendemos as velas e continuamos a conversa, até ela entrar no âmbito sobrenatural, como já é de praxe quando falta energia. Eu, pra não perder o “clima” do momento, sugeri que fizéssemos a brincadeira do compasso, mas de uma forma diferente, que havia inventado na hora: eu escreveria as letras de A-Z e os números de 0-9 numa folha de papel, invocaria algum espírito e seguraria a caneta – isso mesmo – acima da folha, e veria se acontecia algo de sobrenatural.

Todos de acordo, escrevi tudo numa folha de papel que meu amigo me arranjou de um caderno dele, daí rezamos o pai-nosso e invocamos a presença de um espírito para responder às nossas perguntas. Levantei a mão acima da folha, segurando a caneta no final, quase soltando. Nesse momento, foi interessante… toda a minha mão ficou dormente, formigando bastante… e eu tinha praticamente acabado de levantá-la, não podia ser por causa da posição. Enfim.

A primeira pergunta era para ver se algum espírito queria se comunicar. Após alguns segundos… a caneta parecia querer seguir para uma direção, sem eu fazer qualquer tipo de pressão ou algo parecido. Sabe quando você põe um ímã um perto do outro, aquela “força” que eles fazem, se atraindo? Pois foi EXATAMENTE a impressão que tive, segurando a caneta… ela seguia para uma direção, como um ímã atraindo outro. Daí, ela parou no “sim”.

Algumas perguntas se seguiram, como a idade de todos… beleza, eu sabia a idade de todo mundo… mas havia uma coisa que eu não sabia sobre um dos caras, e isso me deixou intrigado.

Ele perguntou qual o nome da namorada dele. Daí… com a mesma “atração”, a caneta para no T, no I, no A, no N e no A. T-I-A-N-A. Eu sequer tinha ouvido esse nome, já vi Diana, Tina, Taiane… mas TIANA, nunca. E ele AFIRMOU que estava certo.

Putz, sério! Eu achei que ele estava me sacaneando, que estava dizendo que era só pra que tudo parecesse ser certo. Eu parei a brincadeira ali mesmo… não tinha nenhuma explicação lógica para que eu houvesse acertado, e acabei esquecendo isso, deixando pra lá, pois realmente achei que ele queria me sacanear. Não acreditei nem quando a namorada dele veio aqui e ele me apresentou ela, como Tiana – achei que eles tinham combinado pra me fazer de otário.

Até pedir a identidade dela e confirmar que o nome dela era ESSE MESMO. Puxa vida!

Enfim… se existe ou não, se é verdade ou não essa brincadeira, eu não sei. Dei sorte de não ter acontecido nada comigo… mas que ela acertou o nome da namorada de meu amigo, ela acertou.
Bom Medo Extremo

Fonte: caudalonga.com
  • Novo Tópico
  • Responder ao tópico

Data/hora atual: Sex Ago 29, 2014 5:07 pm